Almanaque do Jeremias

PLANOS DE SAÚDE INICIAM COBRANÇA DE REAJUSTES RETROATIVOS

Existe a possibilidade do usuário solicitar a redução do número de parcelas. 

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Os planos de saúde passam a cobrar agora em janeiro os reajustes de valores para 2020 que foram suspensos por causa da pandemia da Covid-19. 

 

Cerca de 20 milhões de usuários serão afetados e o impacto no bolso vai ser grande. Isso porquê além do ajuste anual de mensalidade, os usuários poderão ter que arcar com o possível reajuste de faixa etária. 

 

Além disso os custos retroativos serão somados com o aumento de 2021.

 

Conforme reportagem do G1, os valores que não foram pagos no ano passado serão cobrados nos próximos boletos do beneficiário. A cobrança poderá acontecer em até 12 parcelas mensais de igual valor.

 

Informações detalhadas sobre os reajustes, incluindo o número da parcela devem constar nos boletos, destaca a matéria.

 

Existe a possibilidade do usuário solicitar a redução do número de parcelas. 

 

São afetados pelo reajuste todos os beneficiários com planos individuais novos ou adaptados, empresariais com até 29 vidas e coletivos por adesão que tiveram o reajuste anual suspenso entre setembro e dezembro de 2020.

 

De acordo com a reportagem, aqueles usuários que mudaram de faixa etária em 2020 e não tiveram o novo valor cobrado no período também pagarão o valor que deixou de ser repassado.

 

São excluídos do reajuste os contratos antigos, que são aqueles não adaptados à Lei nº 9.656/98. Também estão livres aqueles planos coletivos empresariais que já tivessem negociado reajuste até o fim de agosto ou em que a própria empresa preferiu não ter o reajuste suspenso

Fonte

Redação Almanaque
  • COMPARTILHE

PLANOS DE SAÚDE INICIAM COBRANÇA DE REAJUSTES RETROATIVOS

07/01/2021 10:57


Os planos de saúde passam a cobrar agora em janeiro os reajustes de valores para 2020 que foram suspensos por causa da pandemia da Covid-19. 

 

Cerca de 20 milhões de usuários serão afetados e o impacto no bolso vai ser grande. Isso porquê além do ajuste anual de mensalidade, os usuários poderão ter que arcar com o possível reajuste de faixa etária. 

 

Além disso os custos retroativos serão somados com o aumento de 2021.

 

Conforme reportagem do G1, os valores que não foram pagos no ano passado serão cobrados nos próximos boletos do beneficiário. A cobrança poderá acontecer em até 12 parcelas mensais de igual valor.

 

Informações detalhadas sobre os reajustes, incluindo o número da parcela devem constar nos boletos, destaca a matéria.

 

Existe a possibilidade do usuário solicitar a redução do número de parcelas. 

 

São afetados pelo reajuste todos os beneficiários com planos individuais novos ou adaptados, empresariais com até 29 vidas e coletivos por adesão que tiveram o reajuste anual suspenso entre setembro e dezembro de 2020.

 

De acordo com a reportagem, aqueles usuários que mudaram de faixa etária em 2020 e não tiveram o novo valor cobrado no período também pagarão o valor que deixou de ser repassado.

 

São excluídos do reajuste os contratos antigos, que são aqueles não adaptados à Lei nº 9.656/98. Também estão livres aqueles planos coletivos empresariais que já tivessem negociado reajuste até o fim de agosto ou em que a própria empresa preferiu não ter o reajuste suspenso

Fonte: Redação Almanaque

Publicidade

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )